16 de jun de 2011

Dor de cabeça?

Um tipo que sofria de uma dor de cabeça crônica infernal foi ao médico que, depois dos exames da praxe, lhe disse:
- Meu caro, tenho uma boa e outra má notícia. A boa, é que posso curá-lo dessa dor de cabeça para sempre. A má notícia é que para fazer isso eu preciso castrá-lo! Os seus testículos estão pressionando a espinha, e essa pressão provoca uma dor de cabeça infernal. Para aliviar o sofrimento, preciso removê-los'.

O tipo levou um choque, e caiu em depressão. Passou dias meditando. Indagava se havia alguma coisa pela qual valesse a pena viver.
Não teve outra escolha a não ser submeter-se à vontade do bisturi.
Quando deixou o hospital, pela primeira vez, depois de 20 anos, não sentia dor de cabeça. No entanto, percebeu que uma parte importante de seu corpo estava faltando.
Enquanto caminhava pelas ruas notou que era um homem diferente, e que poderia ter um novo começo.
Avistou uma loja de roupas masculinas de classe e:
- É disto que eu preciso, disse para si mesmo. Quero um fato novo, pediu ao vendedor.

O vendedor, alfaiate de idade avançada, deu uma olhadela, e falou:
- Vejamos... é um 44 longo.

O tipo riu:
- É isso mesmo, como é que o senhor soube?
- Estou no ramo há mais de 60 anos, respondeu o alfaiate.

Experimentou o fato, que lhe caiu muito bem. Enquanto se admirava no espelho, o alfaiate perguntou:
- Que tal uma camisa nova?

Ele pensou por alguns instantes:
- Claro.

O alfaiate olhou e disse:
- 34 de manga, e 16 de pescoço.

E ele pasmado:
- Mas, é isso mesmo, como pôde adivinhar?
- Estou no ramo há mais de sessenta anos, disse.

Experimentou a camisa e ficou satisfeito.
Enquanto andava pela loja, o alfaiate sugeriu-lhe:
- Que tal uma cueca nova?
- Claro, respondeu o homem.

O alfaiate olhou seus quadris, e disse:
- Vejamos.... acho que é 36.

O gajo soltou uma gargalhada.
- Desta vez, enganou-se. Uso o tamanho 34 desde os 18 anos de idade.

O alfaiate sacudiu a cabeça:
- Você não deve usar 34. O tamanho 34 pressiona-lhe os testículos contra a espinha, e essa pressão vai provocar-lhe uma dor de cabeça infernal.


MORAL DA HISTÓRIA: Peça sempre uma segunda opinião!

12 de jun de 2011

Homem só pensa nisso mesmo

O melhor baterista do mundo

Por que, para os terroristas árabes, é tão fácil se suicidar?

É proibido:
1- Sexo antes do casamento;
2- Tomar bebidas alcoólicas;
3- Ir a bares;
4- Ver televisão;
5- Usar a Internet;
6- Esportes, estádios, festas com mulheres;
7- Tocar buzina;
8- Comer carne de porco;
9- Música não religiosa;
10- Ouvir rádio;
11- Barbear-se;

Além disso:
12- Tem areia por todos os lados e nenhum buggy para se divertir;
13- Farrapos em lugar de roupas;
14- Come-se carne de burro cozida sobre bosta de camelo;
15- As mulheres usam burka e não dá para ver nem a cor dos olhos;
16- A esposa é escolhida pelos outros e o rosto é visto só na procriação;
17- Sexo depois de casado só para procriar e feito no escuro com a mulher vestida com o shake;
18º - Reza-se para Alah: 06:00 às 09:00 | 12:00 às 15:00 | 16:00 às 18:00 | 21:00 às 00:00 | No pôr do Sol;
19- A temperatura básica nos países árabes é entre 45º e 58º (em alguns lugares até mais altas);
20- Para economia de água, banho apenas uma vez por mês, nas partes mais sujas (pés).

E finalmente;
21- Ensinam que, quando morrer, vai para o paraíso e terá tudo aquilo com que sonha!

Assinado: Buda Gueu Bariu

11 de jun de 2011

Bicicleta à prova de pregos

Camera escondida

A loura e adestrador de crocodilos

Apresenta-se no palco um homem com um crocodilo. Depois de agradecer os aplausos, o homem pega num cacetete, dá uma leve pancada na cabeça do crocodilo e este abre a boca.

O homem abre a calça, ajoelha-se e coloca o pênis na boca do crocodilo. Começam a rufar os tambores e o público faz silêncio total. O homem então dá segunda cacetada na cabeça do crocodilo. Este começa a fechar a boca lentamente.
- Uaaahhh!!! - ouve-se a platéia.

O crocodilo, quando está quase a fechar a boca totalmente, pára! Na platéia o silêncio é geral. Apenas se ouve o rufar dos tambores. O homem dá uma terceira paulada na cabeça do crocodilo e este abre totalmente a boca. O público explode em aplausos e a orquestra começa a tocar.
O homem põe-se de pé, fecha a calça, e num tom desafiador pergunta aos espectadores:
- Alguém é capaz de fazer isto?

Aí, responde uma loira da platéia:
- Eu faço!!! Só não gosto que me batam na cabeça.





Recebi por e-mail.

Diário de uma mulher fiel, num cruzeiro marítimo

1º Dia:
Querido Diário, já estou preparada para fazer este maravilhoso cruzeiro que ganhei de
presente do meu marido. Vim sozinha e trouxe na mala minhas melhores roupas! Estou excitada!

2º Dia:
Querido Diário, estivemos todo o dia navegando. Foi lindo e vi alguns golfinhos e baleias. Que viagem maravilhosa estou começando! Hoje conheci o capitão, que por sinal é um belo homem.

3º Dia:
Querido diário, hoje estive na piscina. Fiz também um pouco de jogging e joguei mini-golfe. O capitão me convidou para jantar em sua mesa. Foi uma honra e a noite foi maravilhosa. Ele é um homem muito atraente e culto.

4º Dia:
Querido diário, fui ao cassino do navio! Tive muita sorte, pois ganhei U$80. O capitão me convidou para jantar com ele em seu camarote. A ceia foi luxuosa com caviar e champanhe. Depois de comermos, ele perguntou se eu ficaria em seu camarote, mas recusei o convite. Disse a ele que não queria ser infiel ao meu marido.

5º Dia:
Querido diário, hoje voltei à piscina para me bronzear um pouco. Depois, decidi ir ao piano bar e passar ali a tarde. O capitão me viu e me convidou para tomar um aperitivo. Realmente ele é um homem encantador. Perguntou-me de novo se eu queria visitá-lo em seu camarote naquela noite. E eu lhe disse que não, que era casada. Então ele falou que, se eu continuasse respondendo não, ele iria afundar o navio. Fiquei aterrorizada!

6º Dia:
Querido diário, hoje salvei 1600 pessoas. Três vezes!













Via, Gisele.
Um casal de velhinhos conversando no jardim do asilo onde moravam:
- Não podemos ter sexo, mas gostaria de ter alguém para segurar o meu pênis. Não creio que isso faça mal...

A coleguinha concordou, e durante dois meses se encontravam para tomar sol no terraço. Ele tirava o pênis para fora e ela pegava com muito carinho. Um belo dia ele desapareceu. Ela o procurou por toda parte no asilo e finalmente o encontrou no quintal, sentado ao lado de outra velhinha, que segurava o seu pênis. A antiga companheira ficou indignada:
- Durante dois meses eu segurei seu pênis sem problema e agora você me deixa por uma outra? O que é que ela tem que eu não tenho???

O velhinho retrucou sorrindo:
-Parkinson!!



Recebi por e-mail.